Dicas para África do Sul – Kruger Park

E aí, pessoal!

Mais um post bem aleatório que estava há mil anos para escrever e sempre enrolava. Tenho aqui 4 dicas super básicas, mas legais pra ajudar quem está indo pra África do Sul, em especial pra Joanesburgo e para o Kruger Park.

Dica 1 – Trocar Dinheiro no Aeroporto

Chegando no aeroporto de Joanesburgo (ou Joburg como os locais chamam), existem umas 5 casas de câmbio, uma do lado da outra, encostada mesmo. E o preço pode variar muito de uma pra outra. Então, ao invés de já trocar na primeira, pergunta a cotação em cada uma e depois decide. Você vai gastar uns 5 minutos a mais no aeroporto, mas pode economizar uma graninha boa.

South African Airlines - Joanesburgo - Aeroporto

Dica 2 – Carro alugado com antecedência para o Kruger Park

Não cometam a besteira que eu cometi. Fui para a África do Sul a trabalho, para participar de uma convenção de turismo que aconteceria em um hotel dentro do Kruger Park. Meu aeroporto de chegada era o Nelspruit, lá no sul do parque, e o portão de entrada no parque seria o Malelane. Como cheguei um dia antes, não tinha nenhum transfer da convenção agendado para me pegar. Mas pensei: “chego lá e pego um táxi, Uber, ônibus…”. Ledo engano.

No aeroporto, não tinha táxi ou qualquer serviço de ônibus pro parque. Nada nada! E pra melhorar a situação, devia ter umas 5 empresas de locação de carro. Nenhuma, absolutamente nenhuma, com carro disponível. Bateu aquele leve desespero e a mulher do balcão de informações me ajudou, ligando para uma empresa de carros particulares de luxo, única solução disponível. Como esperado, paguei uma nota pela burrice de não me preparar.

Então, amiguinho, tá indo pro Kruger Parque? De duas, uma: ou já aluga um carro em Joanesburgo e dirige até lá (minha sugestão) ou já reserva um carro no aeroporto perto do parque com antecedência! Não sejam um Diego da vida!

Kruger Park - Safari - Africa do Sul

DICA 3 – Aluguem um Carro 2

Como assim? Tá repetindo dica? Mais ou menos. Agora a dica vai para os passeios que você vai fazer no Kruger Park. Lá, dependendo do hotel que você vai ficar, eles oferecem uns safaris muitos legais. Safari diurno, noturno, a pé (sim… fiz esse e dá um medo do carai!). Mas se você tem um carro, você tem a liberdade de fazer o próprio safari, a hora que quiser. O parque tem estradas internas muito boas e a cada quilômetro que você anda, mais bichos vai vendo. De todos os tipos e tamanhos. Então, mais uma vez, alugue um carro. Você vai curtir muito mais e não ficar preso aos passeios oferecidos pelo hotel. Sem falar que os passeios do hotel tem número mínimo de pessoas. Se não completar, eles cancelam o tour e pode ser um dia perdido pra você dentro do Kruger.

Kruger Park - Pumbas Safari Africa do Sul

Dica 4 – Reserva pelo site do SANParks

Não sei exatamente como funciona porque eu fui pra um evento e tudo já foi reservado pra mim pela própria organização. Mas pelo que sei, pra quem quer dormir em um dos hotéis dentro do Kruger, tem que fazer reserva e ver a disponibilidade no site da SANParks (South African National Parks).

Tá aí o endereço: https://pt.wikipedia.org/wiki/Parque_Nacional_Kruger

Kruger Park - Safari Noturno - África do Sul

Bom… tão aí. 4 diquinhas básicas mas que podem te ajudar bastante.

Até a próxima!

Beijos no coração!

Termas de Puritama – Atacama, Chile

E aí, Brasil?!

No último post eu falei que iria dar algumas dicas sobre a Bolívia e o tour que fiz pra lá, indo e voltando de San Pedro de Atacama.

Mas… acabei de editar o vídeo que fiz sobre o passeio para as termas de Puritama, no deserto do Atacama mesmo. Então vou pular aquele post por um momento e volto em breve.

Sobre esse passeio, ele é bem tradicional pra quem vai pro Atacama. Mas geralmente, você paga só pra ir até lá, toma um banho em algumas das piscinas termais e já era.

O passeio que eu fiz foi um pouco diferente. Eu fiz com o lodge Explora e esse é um tour exclusivo deles. Ainda mais porque eles são donos do terreno onde estão as piscinas. Então a primeira piscina natural (e a mais limpa de todas) é só pra quem faz o passeio com eles mesmo.

E além disso, não foi só um batidão ida-e-volta. O passeio é um pouco mais completo. Rolou um trekking de mais ou menos 2h30 pelo vale Puritama até chegarmos lá nas hot springs. Depois de chegar, tivemos um tempinho bom para relaxar na piscina. Por último, depois de sair da água, eles te esperam com um roupão e te servem um almoço ali mesmo.

Mas chega de enrolação. Bora pro vídeo porque é muito mais legal:

Espero que gostem!

Beijos!

Bolívia – Salar Uyuni e muito mais

E aí, tchurma!

Acabei de voltar de uma viagem pro Atacama, Chile e pra Bolívia. Como a Bolívia foi por último, tá mais fresca na cabeça. Então vou contar um pouco sobre o tour lá e algumas dicas.Bolivia

Primeiro, compramos o tour pela internet pela operadora Keteka dos Estados Unidos. Quem me atendeu foi o Jack e o preço original é de 250 dólares para 4 dias/3noites, saindo e voltando de San Pedro do Atacama, Chile, com tudo incluso. Tudo tudo tudo! Dá uma olhada aí:

https://www.keteka.com/tours/chile-tours/san-pedro-de-atacama-tours/san-pedro-de-atacama-to-uyuni-tour-roundtrip/

Incluía toda a acomodação nos 3 dias (alguns em quartos pra 6 pessoas), transporte ida e volta, e todas as refeições. Como falei, o preço original é de 250 dólares, mas o Jack fez um desconto para o nosso grupo e saiu por USD225.

No final das contas, quando chegamos em San Pedro do Atacama, descobrimos que na verdade, a empresa que opera o tour se chama White and Green e a Keteka terceiriza todo o serviço com eles. Então, se você chegar em San Pedro, vai encontrar muitas empresas oferecendo o mesmo tour, e na minha opinião, acho que pode pegar um pacote melhor lá.

Nos 3 dias de passeio, você vai visitar muito mais que o Salar Uyuni, que é só no terceiro dia. Nos dois primeiros, é muito lugar diferente, com paisagens diferentes, tudo de pirar o cabeção. Na minha opinião, a Bolívia ganha do Atacama em questão de visual. Achei muito mais bonito. Tudão! haha O Atacama ganha no marketing e no profissionalismo. Coisa que na Bolívia parece terra de ninguém. haha

Aqui estão algumas fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

No próximo post, eu vou dar algumas dicas de como comprar, o que levar, e o que esperar no passeio pra Bolívia. Fica ligadão aí!

Bjos!

Mountain Bike entre Maras e Moray

Opa!

Tudo bom?

Há um tempo atrás postei sobre como foi fazer um tour de mountain bike entre Maras e Moray no Vale Sagrado, Peru. Se não viu, clica aí no link que é bem explicadinho e vale muito a pena.

Só que meses depois, resolvi finalmente editar um vídeo desse passeio. Acho que a imagens explicam melhor que as palavras. Então dá o play aí e deixa um comentário!

Fui!

Sun Valley, Idaho

E aí, gente?! Blog mais parado que água de dengue mas vamos lá! Tirei um tempo pra escrever sobre Sun Valley, no estado de Idaho, nos Estados Unidos.

Já ouviram falar? É um vale com 3 cidades (Ketchum, Haley e Belleviu) escondido em Idaho, conhecido por pouquíssima gente mas que tem sido um reduto ecoturístico dos Estados Unidos. Vários ricões de Hollywood tem casa aqui e usam de casa de verão ou inverno.

O vale é mais conhecido pelo Sun Valley Lodge, que por ser uma estação de esqui (Baldy e Dollar Mountain), bomba no inverno. Mas nem só de gelo vive o vale do sol. No verão dá pra fazer uma porrada de coisas.

Fiquei em Haley e logo no primeiro dia fiz uma trilha pela Carbonate Mountain, bem colada na cidade. Uma trilha de dificuldade média e com uma vista espetacular da cidade.

No segundo dia fiz mountain bike nos arredores do vale, mais ao norte de Ketchum. Foi sensacional. Pra quem não tem experiência com mountain bike, vá com um guia. Em vários trechos do percurso a dificuldade foi alta com descida bastante veloz nas rampas do morro.

Terceiro dia foi o mais legal e mais difícil: hiking na Pioneer’s Cabin Mountain. Basicamente uma montanha de 9.400 pés de altura que tem uma cabana construída no topo, por volta de 1930, para que os rangers pioneiros pudessem se abrigar quando estivessem na estrada. Tem uma dificuldade alta e não recomendo para quem não está habituado. 2h15 de subida com vários pedaços escorregadios de neve.

Por fim, fiz um videozinho pra contar melhor em imagens como foi essa viagem! Deem um play aí! Fui!