Puerto Varas – Chile (Parte 03)

O Zé ainda tá em Puerto Varas, mas vamos nos encaminhar para finalizar a série de posts sobre o destino. Agora vou postar dicas finais para outros passeios e também algumas gastronômicas. Bora lá!

Mais uma foto de Peulla!
Mais uma foto de Peulla!

Bom, como falei, fui a trabalho, então não tive tempo para quase nada. Eu gostaria muito de ter feito outros dois passeios bem famosos por lá: um que vai para Ilha de Chiloé (para ver pinguins) e outro que era City Tours em Frutillar. O passeio na ilha de Chiloé é um dos mais famosos e um dos mais caros também. Mas todo mundo que vai adora e recomenda. Separe um dia inteiro pra ele. Gostaria muito mesmo de ter feito. Sobre Frutillar, falam muito bem dessa cidadezinha, que é muito bonita. É um passeio mais monótono, de meio dia, se não me engano, mas por outro lado, um dos mais baratos.

Outras dicas para quem vai com mais tempo.

  • Separar um dia inteiro para o passeio no Parque Nacional e outros dois dias para subidas ao Vulcão Osorno;
  • Dois dias no Vulcão porque um você pode fazer esqui/snowboard. E no outro, fazer o Trekking no Glaciar. O custo desse segundo eu sei que é de 40 mil pesos pois eu iria fazê-lo, mas não pude justamente pelo tempo. Merda!;
  • Como o tempo atrapalha muito, tente já planejar esses passeios com alguns dias de antecedência. Entre em contato com a operadora responsável e com alguns dias antes eles saberão quais dias estarão com tempo aberto e quais não. Assim, você já planeja os outros passeios nos dias de tempo ruim;
  • A empresa que cuida dos passeios no vulcão é a Volcan Osorno. Coloco aqui o site deles. Você já pode pegar os contatos e mandar email perguntando: http://www.volcanosorno.com/
  • Tem outro passeio que eles oferecem que pode ser legal também. É um trekking para a Cratera Vermelha. Mas não tenho muitas informações sobre isso.

 

Dicas de Restaurante

Comi muito bem em Puerto Varas. Aí vão alguns dos lugares:

Ceviche do Buenas Brasas - me desculpem mas a vontade era grande e esqueci de tirar a foto antes! kkk
Ceviche do Buenas Brasas – me desculpem mas a vontade era grande e esqueci de tirar a foto antes! kkk

Fogon Las Buenas Brasas – Excelente! O melhor que comi, tanto que fui duas vezes. Fazem muito bem os peixes e os acompanhamentos. E ainda servem de cortesia um pãozinho de entrada com um ceviche que estavam sensacionais. Por mim, eu ficava uma refeição inteira comendo só essa entrada. Bônus: na época havia um garçon brasileiro trabalhando que nos ajudou bastante a entender os peixes e deu várias explicações sobre os pratos e também sobre o turismo local.

Cassis – um dos mais fáceis de localizar, pois fica numa esquina de frente para a praça. Nesse dia eu resolvi comer uma carne pois já estava cansado de tanto peixe. Me arrependi. Não estava boa. Todos que pediram peixe ficaram felizes. No final, vale passar na sorveteria (dentro do restaurante mesmo). Os sorvetes são excelentes e vem em grande quantidade!

Pim’s – Foi bom para assistir jogo de futebol (era dia de jogo Brasil e Chile)! A comida é estilo Outback/Fridays, mas muito gostosa.O atendimento é lento e achei o preço achei um pouco salgado.

Club Aleman – não tive a oportunidade de comer um dia lá, pois a maior parte dos dias eu tinha jantar no evento que estava trabalhando. Mas três pessoas diferentes me recomendaram. Disseram que não é caro e dá pra sentir um pouco da vibe alemã de Puerto Varas. Deixo aqui as recomendações do Trip Advisor sobre ele: https://goo.gl/ixh24Y.

Orquidea – não fui para comer, mas para as baladas de lá! hehe O local é bem pequeno. Bastante! Não cobram pra entrar e a música é bem internacional. Ficam abertos até mais tarde e o interessante: deixam os cachorros de rua entrar para se aquecerem. Então o povo fica lá dançando com os cachorros no meio! hahaha

Ufa! Chega! Espero que o post ajude e se eu lembrar de mais alguma coisa, volto para editar. Qualquer coisa, se tiverem dúvidas, podem entrar em contato:

Email: diegoarelano@gmail.com

Facebook: Facebook – Diego Arelano

Abraços!!!

Hora de voltar - Cordilheira dos Andes vista do Avião
Hora de voltar – Cordilheira dos Andes vista do Avião

Puerto Varas – Chile (Parte 01)

(Re)começando o blog, o Zé tá no Chile!

E o primeiro post vai para a última viagem internacional que fiz: Puerto Varas, Chile. Como disseram por lá, o Portão da Patagônia.

Mapa Chile - Puerto Varas - Puerto Montt

Para começar, vamos de dicas sobre o aeroporto e moeda. O Aeroporto mais próximo é o de Puerto Montt, capital da Região dos Lagos. Do aeroporto à Puerto Varas são aproximadamente 30 minutos de carro e você pode ir de 3 formas. Alugar um carro, pegar um táxi ou um transfer. Os transfers são as opções mais baratas e saem toda vez que um voo novo chega. Se não me engano, cerca de 5 mil pesos chilenos.

Pela primeira vez na vida, tive o azar de perderem minha mala. Ficou em Santiago. Sendo assim, perdi os transfers e fiquei resolvendo o imbróglio no balcão da Lan. Resolvido (iriam levar no meu hotel até meia noite) fui pegar um táxi. O táxi custa em torno de 20 a 22 mil pesos chilenos. Detalhe, alguns aceitam pagamento em dólar, mas o câmbio que eles oferecem é péssimo. Para se ter uma ideia, o câmbio, em outubro de 2015, no centro de Puerto Varas, era por volta de 1 dólar para 670 ou 680 pesos. O taxista queria trocar por 500 pesos. Então, fiquem de olho. Troquem antes ou deixem para trocar na cidade.

Aeroporto Puerto Montt

Sobre o câmbio, como falei acima, no centro da cidade era possível encontrar várias casas de câmbio, abertas até 19h, trocando o câmbio de 1 para 670 pesos. Vale a pena. Estava melhor que nas casas de câmbio de Santiago. Ah… detalhe! No aeroporto de Puerto Montt não havia casa de câmbio. Então não deixe pra trocar lá antes de pegar o táxi porque senão vai se dar mal ein!

Continuando, vamos falar sobre a escolha do hotel que fiquei. Foi no Hostal 5 Adobe. Nada de luxuoso (o próprio nome “hostal” já denuncia), mas também não espere encontrar um albergue com quartos de mil leitos. Fiquei em um quarto privativo com direito a café da manhã, que por sinal, era excelente. Lá, era atendido pela dona Soledad. Uma senhorinha estilo vó que estava sempre por perto e preocupada se eu precisava de algo. Fazia o café da manhã com muito carinho e me ajudou com um monte de coisas que precisei durante os poucos dias que estive lá. Inclusive, um carregador extra de celular que me emprestou pelos 7 dias sem cobrar nada.

Café da Manhã - Hostal 5 Adobe

Escolhi o Hostal 5 Adobes por dois motivos: preço e localização. Paguei 280 doletas por 7 noches. Bem barato, ein! Comparado a maioria dos que pesquisei, era um dos mais baratos mesmo. Ele fica na rua San Pedro, 571, uma pequena rua sem saída bem no meio do centro do miolo de Puerto Varas. Serião! A localização era excelente. Pude resolver tudo a pé e andar a noite sem problemas. Puerto Varas não é nada grande. Mas não precisei me preocupar com táxi um único dia sequer. Recomendo muito o local.

No entanto, aviso aos navegantes. Caso queiram um quarto individual E COM BANHEIRO PRIVATIVO, tem que reservar com antecedência. Do contrário, só sobrarão os quartos sem banheiro e aí tem que compartilhar com o restão do hostel.

Explicando um pouquinho mais sobre Puerto Varas, a cidade é banhada pelo Lago Llanquihue (demorei a viagem toda pra aprender a falar isso), que, em sua outra margem, banha os vulcões Osorno e Calbuco. Os dois são vulcões considerados ativos e tenho uma história legal de cada um pra contar:

Vulcão Osorno – apesar de ser considerado ativo, sua última erupção rolou em 1835. Só que não foi só uma cuspidinha não. Ficou 15 anos vomitando lava. Coinscidência ou não, Puerto Varas começou a ser fundada logo após, em 1854.

Vulcão Calbuco – esse faz jus ao título de ativo. Esse ano mesmo (2015) entrou em erupção em junho e jorrou cinzas a mais de 5 km de distância. Nas visitas ao Parque Nacional, as trilhas eram cobertas por dejetos vulcânicos. Mostro mais à frente.

Vulcão Osorno (esqueda) e Vulcão Calbuco (direita) - e sim, eu estava com o braço quebrado!
Vulcão Osorno (esqueda) e Vulcão Calbuco (direita) – e sim, eu estava com o braço quebrado!

Voltando à historinha de Puerto Varas, a cidade é muito recente (uns 150 anos) e foi fundada por alemães. Na época, era uma grande florestona que o governo chileno precisava povoar. Fez então uma convocatória no país para dar terras aos chilenos mas ninguém quis. Sendo assim, ofereceu aos alemães, que passavam por crise. Esses aceitaram e começaram a povoar o local. Bem por isso, a arquitetura é bastante alemã, o povo é todo loiro, com sobrenomes difíceis de falar e, para minha sorte, como estava em outubro, estava tendo Oktober Fest! Ocorria no pavilhão central, ao lado da praça da cidade. Bem no centro. A festa rolou por alguns dias e pude degustar algumas boas cervejas alemãs!

Pronto! É um bom ponto de partida para você chegar a Puerto Varas. No próximo post falo um pouco sobre os passeios que fiz!

Besos!